2

Godói publica texto detonando Fluminense por reclamações após eliminação

Um dos árbitros mais famosos e polêmicos que já atuaram nos gramados brasileiros, Oscar Roberto Godói foi enfático em sua análise após a partida entre Corinthians e Fluminense, pela Copa do Brasil, na vitória e classificação alvinegra na última quarta-feira.

No texto, Godói critica a postura e reclamações do presidente e do técnico da equipe carioca, classificando-as como "levianas e desnecessárias". Em trecho da publicação, ele cita também os pênaltis reclamados pelo Fluminense. "No primeiro suposto pênalti, Giovanni Augusto dá um tranco legal em Cícero, ombro com ombro, sem força desproporcional mas, para iludir a arbitragem o atacante Tricolor se joga na área. Jogada legal. O segundo “pênalti” teria acontecido no último lance do jogo quando Richarlisson cai na área ao ser tocado por Fagner. Entendo que o árbitro paranaense Rodholfo Marques acertou porque o atacante Tricolor se jogou na bola e estava caindo. O toque do joelho de Fagner na coxa de Richarlisson não provocou a queda, muito bem simulada", disse Godói.

Godói ficou famoso no Brasil por arbitragens polêmicas. Com personalidade, ele nunca aliviou para os atletas e era rigoroso em suas interpretações no campo. Após a aposentadoria, fez carreira como comentarista na Bandeirantes, mas foi demitido após criticar ao vivo a emissora. Atualmente ele é comentarista de arbitragem da TV Gazeta.



CONFIRA A ANÁLISE ABAIXO:

Quando as reclamações contra as decisões da arbitragem acontecem durante o jogo, com todos – jogadores, comissão técnica, torcedores e árbitros – usando os mesmos recursos a culpa é sempre do nervosismo, da ignorância dos fatos e das regras. Porém, transformar os acertos da arbitragem em erros após analisarem os recursos tecnológicos é covardia, má fé, mau caratismo ou o que? A culpa pela derrota ou desclassificação sempre é da arbitragem, mesmo ela estando correta.

Foi o que vimos e ouvimos durante e após a vitória do Corinthians por 1 a 0 contra o Fluminense, eliminando o Tricolor da Copa do Brasil. A equipe carioca teve três gols corretamente anulados, comprovados eletronicamente, e, mesmo assim o presidente Peter Sinsem e o técnico Levir Culpi criticaram e levantaram suspeitas levianas e desnecessárias.

Logo aos cinco minutos, em cobrança de falta, Cícero marcou de cabeça e o gol foi anulado corretamente pelo assistente paranaense Ivan Bohn. Aos sete minutos, o Fluminense repete a jogada e Cícero marca novamente e, corretamente, o gol é anulado por impedimento pelo mesmo assistente. Aos 15 minutos dos segundo tempo, Henrique cabeceia para Richarlisson que, impedido, toca para o gol e o assistente Bruno Boschilia, corretamente, anula por impedimento.

As outras reclamações por parte do Tricolor são de lances que deveriam ter sido marcados pênaltis. No primeiro suposto pênalti, Giovanni Augusto dá um tranco legal em Cícero, ombro com ombro, sem força desproporcional mas, para iludir a arbitragem o atacante Tricolor se joga na área. Jogada legal. O segundo “pênalti” teria acontecido no último lance do jogo quando Richarlisson cai na área ao ser tocado por Fagner. Entendo que o árbitro paranaense Rodholfo Marques acertou porque o atacante Tricolor se jogou na bola e estava caindo. O toque do joelho de Fagner na coxa de Richarlisson não provocou a queda, muito bem simulada. Lance semelhante também aconteceu na área do Fluminense envolvendo Douglas e Romero. Como diria Mário Vianna: lance legal.

Tivemos um lance muito difícil de impedimento, onde a arbitragem acerta ou erra só com ajuda da televisão, quando Marcos Junior foi lançado e o impedimento, inexistente, foi marcado por Boschilia. Para felicidade da arbitragem ele não fez o gol.

Disciplinarmente o árbitro acertou na expulsão de Marquinho, do Flu, por xingamentos e errou em não ter punido Yago, do Corinthians, que acertou o cotovelo em Marcos Junior.

Como as duas equipes se enfrentam novamente pelo Brasileirão, a próxima arbitragem já está sob suspeita. Quem perder já sabe de quem será a culpa.'

Oscar Roberto Godoi

300x250



comentário(s) pelo facebook: