2

Muricy Ramalho aponta possíveis causas da queda de rendimento do Corinthians

Foto: Reprodução

Apesar de ser líder isolado do Campeonato Brasileiro com seis pontos de vantagem para o vice-líder Palmeiras, o Corinthians virou alvo de comentários de diversos analistas esportivos de televisão e rádio. O ex-treinador Muricy Ramalho, comentarista do SporTV, é um exemplo disso.

Em participação no programa "Seleção SporTV", Muricy apontou as possíveis causas da queda de rendimento da equipe de Fábio Carille, invicta no primeiro turno do Brasileirão com 14 vitórias e cinco empates, mas que vive fase irregular no returno do Brasileiro e atravessa momento de desconfiança do torcedor e da própria imprensa. O técnico tetracampeão Brasileiro (3 vezes com o São Paulo e uma com o Fluminense) argumentou sobre os possíveis motivos.



“É difícil falar, mas existem várias causas. O cara pode não estar se cuidando tanto, pode ser que o cara já conquistou alguma coisa e se acomodou. Isso é uma coisa normal no Brasil, acontece muito com os jogadores brasileiros. Quando conquista alguma coisa, se acomoda, e é difícil o técnico trazer de volta. Porque começa a perder, e aí perde a confiança, como no caso do Corinthians. É um time que está sem confiança. São vários motivos, é difícil apontar de longe. Mas com certeza tem um motivo, e o técnico tem que estar atento a isso”, disse Muricy.

“[...] Mas o principal é fazer a cabeça do jogador. O jogador se acomoda. O brasileiro, principalmente, se acomoda. A corda tem que estar bem esticada mesmo. Para isso, é cobrança diária. Tem que mostrar para eles que a vida continua, que a torcida vai cobrar mais. Não é fácil. É um trabalho realmente muito duro”, completou.

No segundo turno, o Corinthians conquistou apenas três vitórias das 11 partidas disputadas. Foram três empates e cinco derrotas. O aproveitamento de 36,6% preocupa a comissão técnica e o técnico Fábio Carille, que pensando nisso, definiu equipe que ainda não perdeu na competição para o confronto diante da Ponte Preta neste domingo.


COMPARTILHE A NOTÍCIA: