2

Escassez de gols no Timão: Um centroavante de ofício resolveria?



O esquema sem centroavante do técnico Fábio Carille vem dando certo no Timão e provavelmente será mantido nos próximos jogos do Corinthians, mas em um empate sem gols (assista aos melhores momentos) como esse do jogo contra o Vitória pela Copa do Brasil surge o questionamento se a equipe deveria adotar um centroavante de ofício em seu esquema tático . Aparentemente a falta de uma referência no ataque tem cobrado seu preço em determinados momentos nessa temporada.



No jogo contra o Vitória em alguns momentos ficou clara a falta de alguém para prender a bola no ataque ou para brigar com a dupla de zaga do time baiano. Ter um centroavante também poderia ajudar a abrir espaços para Rodriguinho e Jadson se infiltrarem na defesa adversária, o que não ocorreu no jogo de ontem.
Visando solucionar a fala de centroavante a diretoria corintiana buscou recentemente a contratação de Roger junto ao Internacional. Entretanto, ao menos para a Copa do Brasil ele não estará disponível por já ter atuado neste torneio pelo seu ex-clube.
Entretanto, o treinador levará o novo reforço para o jogo de domingo, contra o Atlético-MG, no Independência, pelo Campeonato Brasileiro. Não só pela falta de centroavante, mas também por jogar fora de casa, para este jogo o favoritismo é do Atlético MG, cotado a 2,15 para 1 segundo dados extraídos do site de apostas esportivas Betway (informações coletadas em 26/04).
O próprio treinador sabe que a carência de um chamado "camisa 9" no time do Corinthians pode afetar a equipe. Segundo observação do mesmo feita em entrevista coletiva, dos 11 últimos títulos do Timão, somente dois não tiveram um centroavante de ofício, o título Paulista de 2018 e o da Libertadores em 2012.
De qualquer forma, faltou muito mais do que um centroavante ao Corinthians no confronto contra o time do Vitória pela Copa do Brasil. Provavelmente por conta da grande sequência de jogos com viagens desgastantes pelo Brasileirão e Libertadores, a equipe não manteve a intensidade de sempre e criou pouquíssimas chances de gol.


Após um bom início marcando no campo do adversário e mantendo a posse de bola e o controle d o jogo, o Timão recuou e esperou o adversário para apostar nos contra-ataques, mas não conseguiu oportunidades de contra-atacar. No segundo tempo, melhorou com a entrada do jovem Mateus Vital, mas não foi o suficiente para conseguir a vitória.
Mesmo com a má atuação, não dá pra reclamar do resultado. Como o gol fora de casa não é mais critério de desempate na Copa do Brasil, mesmo que sofra um gol em casa, o Corinthians não precisará partir para o desespero.
De qualquer forma, é sempre bom afastar o fantasma do rubro-negro baiano e não dar sopa para o azar. Vale lembrar que em 19 de agosto de 2017, foi o time baiano quem quebrou uma série invicta de 34 jogos do Corinthians de Carille ao fazer 1 a 0 em Itaquera, com gol do hoje centroavante são-paulino Tréllez,


COMPARTILHE A NOTÍCIA: