Vagner Love se pronuncia sobre retorno ao Timão e empolga Fiel - É o Time do Povo - Notícias do Corinthians
2

Vagner Love se pronuncia sobre retorno ao Timão e empolga Fiel


O atacante Vagner Love está mesmo perto de retornar ao Corinthians. Neste domingo (13), em entrevista à Rádio Bandeirantes, o jogador falou sobre a possibilidade e revelou ter sido procurado apenas pelo Timão no futebol brasileiro.




Love, vale destacar, não recebe salários há seis meses no Besiktas-TUR e tenta uma rescisão de contrato. O imbróglio impede o retorno definitivo do atleta ao Corinthians.

"(O Corinthians) É o único que me procurou. É um clube que eu tenho um carinho muito grande, 2015 foi muito bom para mim, fui campeão brasileiro, vice-artilheiro do campeonato, eu tenho um carinho muito grande, com certeza vai estar brigando por títulos esse ano, e se acontecer de eu voltar para o Brasil, eu vou querer jogar em um time que dispute títulos, que vá te dar uma condição legal de trabalho, e hoje o clube tem tudo isso", disse Love.

Aguardando um desfecho da confusão envolvendo Love na Turquia, o Corinthians ainda não formalizou nenhuma proposta pelo atacante. A direção alvinegra aguarda a rescisão de contrato do atleta com os turcos para oficializar o retorno do artilheiro alvinegro no título brasileiro de 2015. Vagner falou sobre o assunto.

"Proposta oficial eu não recebi nenhuma, até porque eu não resolvi minha situação aqui. Mas a partir do momento que eu rescindir o contrato aqui, aí eu sim eu vou poder negociar, porque vou estar livre. Aí vou poder acertar bases salariais com outro time. Mas, até o momento, contato só o Corinthians, do Brasil só o Corinthians. Fora do Brasil não recebi nenhum contato", revelou.




O artilheiro ainda explicou a situação vivida na Turquia. "Tá devendo cinco meses, agora dia 31 vai pro sexto mês, e não tem previsão de pagamento, eles não chamam para negociar a dívida. Me colocaram para treinar afastado, enfim... Eu tenho mais um ano e meio de contrato aqui, e eu estou bem tranquilo, graças a Deus. Mandam treinar, eu vou lá e treino. (...) Eu tô bem tranquilo porque a Fifa dá proteção. Se eles não pagarem, daqui a um tempo, é só acioná-los na Fifa, que eu tenho certeza que a Fifa vai me dar o direito de seguir trabalhando em outro lugar", concluiu.



COMPARTILHE A NOTÍCIA: