Veja como foi a sensacional coletiva de Coelho após a vitória sobre o Fortaleza - É o Time do Povo - Notícias do Corinthians
2

Veja como foi a sensacional coletiva de Coelho após a vitória sobre o Fortaleza

Coelho concedeu entrevista após vitória sobre o Fortaleza / Foto: Reprodução

O técnico interino Dyego Coelho falou após a vitória por 3 a 2 sobre o Fortaleza, nesta quarta-feira, em Itaquera, pelo Campeonato Brasileiro de 2019. Entre outras coisas, o substituto de Fábio Carille exaltou os atletas, a mudança de postura em relação aos últimos jogos, se emocionou ao relembrar momentos de quando surgiu no Timão, elogiou a Fiel e analisou o posicionamento de Boselli e Pedrinho.



O É o Time do Povo separou os principais trechos da coletiva de Dyego Coelho. (veja abaixo)


MUDANÇA DE POSTURA COMEÇOU QUANDO?
"Começou na segunda-feira, quando fizemos um treino muito intenso. Na terça, alguns jogadores, acho que a maioria, quando pensamos em marcar pressão, ser agressivo... Não adianta só eu falar, o treino precisa mudar o comportamento. Eles atingiram velocidade de jogo na marcação pressão do treino. São jogadores muito inteligentes, foi uma ideia nossa de pressionar e sair em três, para dar mais liberdade aos extremos e o meio mais móvel. O mérito é dos jogadores, eles mudaram a chavinha. Eles conseguiram executar a ideia de uma maneira que o torcedor gostou. Gostou de ver jogando sem a bola e com ela, se entregaram. Se tivermos treinos, podemos evoluir muito mais."

SENSAÇÃO DA VITÓRIA
"Marca muito. A sensação que eu tive quando o árbitro acabou o jogo foi a mesma quando tinha dez anos quando fui aprovado na peneira do clube. A sensação é maravilhosa. Os jogadores proporcionaram isso. Eles são fantástico, eles trabalham. Eles querem, isso me deixa muito feliz. Três gols é bom, né. Por ficarmos expostos, às vezes tomamos gol. Mas como você sufoca o adversário com uma linha de cinco, entre as linhas, com amplitude e um atacante que é muito bom, acho que conseguimos fazer mais gols do que tomar."

EMOÇÃO DE SER TÉCNICO DO CORINTHIANS
"A minha história aqui dentro é de alegrias, tristezas, de uma série de situações. Mas tem uma coisa que fica sempre dentro. Tudo o que meus pais tem hoje, minhas filhas, é o Corinthians que me proporcionou. Não penso se amanhã vai vir alguém, quero viver cada dia ajudando o clube que me proporcionou tanta coisa. Quando tive a notícia que ia assumir o jogo, tive uma felicidade muito grande, eu poderia retribuir tudo o que o Corinthians fez por mim. O Corinthians foi minha casa, eu sai de casa muito cedo. Eu dou muito valor ao pessoal que está na base. Vencer passa um filme na cabeça. Eu morava aqui atrás quando o estádio era um CT, três campos e só. A bola caia aqui na Radial e não tinha mais para treinar. Passa um filme. Meu pai e minha mãe falavam para eu ir ao Corinthians. Faz a gente lembrar de muita coisa."

DIÁLOGO COM OS ATLETAS E MUDANÇA DE POSTURA
"A aceitação é o seguinte. O boleiro gosta da verdade. Ter duas conversinhas com ele não vai funcionar, então eu procuro falar a verdade. E procurar colocar o que ele pense que está acontecendo hoje. Eles precisam entender que estamos na briga pela Libertadores. Se você for verdadeiro com eles, cobrar da maneira correta, eles vão te aceitar. Não importa se está há muito tempo como treinador ou chegando agora, tem que ser verdadeiro com o jogador que ele vai entender. A nossa briga está aí. É importante para o clube, para todo mundo, estar na Libertadores. Eles deram o recado, foram bem demais hoje. Eu falei na preleção que estou muito feliz em fazer parte disso. Esperamos que sábado as coisas continuem da melhor maneira possível."




FIEL
"Nós temos uma nação, bicho. Torcedor é fantástico com a gente, ele ama o Corinthians. Por mais que a gente esteja em momentos difíceis às vezes, eles estão aí nos apoiando. Tivemos que retribuir isso para eles. Eu sempre falo uma coisa. Jogador, quando joga no Corinthians, tem que entender uma coisa. Um carrinho, um ganho de dividida, vale mais que um drible. Eles entenderam isso hoje. Hoje poderíamos ter perdido, empatado ou ganho, o torcedor iriam entender que o time jogou realmente para ganhar o jogo. A gente tem que agradecer sempre o torcedor que vem aqui."

INTELIGÊNCIA DO ELENCO
"O elenco, como já falei aqui, é muito inteligente, consegue fazer o que a gente pede. O jogo do jogador do Corinthians precisa ser organizado, mas agressivo. Falta o Júnior entra mais, o Vital, o Pedrinho, temos que preencher a área. Quando faz uma saída em três, você tem essa situação de profundidade. É tudo muito em função do que eles fizeram. Eles fizeram acontecer. Foi uma ideia, eles acreditaram naquilo e fizeram. O mérito total da vitória hoje é dos jogadores."

BOSELLI E PEDRINHO
O Boselli precisa de jogadores do lado dele para a bola chegar. Eu só dei uma instrução ao Pedrinho, para ele jogar futebol, fazer o que tem que fazer com a bola, mas a única coisa que tem que fazer é correr atrás dela quando perde. O Pedrinho tem que jogar solto, mas não pode se desligar do jogo. Ele tem que entender que tem que fazer a parte ruim. Quando ele se junta com o Vital e Urso, facilita para ele o leque de jogo."

NOS AJUDE A ALCANÇAR 1 MILHÃO DE FÃS NO FACEBOOK. CLIQUE EM CURTIR!





COMPARTILHE A NOTÍCIA: